Pesquisar este blog

sábado, 17 de maio de 2014

Barba

Como será que as pessoas fazem para manter uma barba? Sério, eu fico uma semana sem me barbear, quase não tenho pelos no rosto e fica uma coceira bem incômoda!

O que pode levar à dúvida: "então por que você não raspa a fucking barba?" Bem, porque o seguinte: eu fui a Itaú na semana passada e levei meu creme de barbear e minha última lâmina nova. Lá chegando lembrei que tinha esquecido que, na verdade, eu não preciso levar creme de barbear para lá, porque tem um tubo cheio que só é usado nas vezes que eu vou pra lá e não levo o meu de casa. Que cabeça de vento a minha! Tão de vento, aliás, que eu me esqueci de colocar o creme de volta na minha mala, o que significa que, neste momento, há em Itaú dois tubos praticamente cheios de creme de barbear que provavelmente serão quebrados em alguma faxina.


Claro que eu só descobri isso uma semana depois de ter voltado. Porque minha barba é a famosa dura e cheia: dura de crescer e cheia de espaço entre os pelos. Eu uso o termo por falta de outro, mas chamar isso de "barba" é como chamar a torcida do Santos de "multidão".

Em compensação, eu trouxe pra São Paulo os documentos do carro da minha mãe, que me emprestara o veículo porque estava mais fácil de tirar da garagem. Mas, na boa: não foi uma boa troca.


Neste fim de semana passado ela foi a Jundiaí e, sendo dia das mães, fui lá vê-la. Aproveitei pra levar o documento do carro dela. Quer dizer, eu planejei levar, mas - que bobo eu! - acabei deixando atrás da gigante impressora e, por consequência, esqueci. Pra resolver a questão de vez, eu resolvi enviar pelo SEDEX. E só isso: resolvi enviar, mas ainda não enviei.


Alie-se a isso o fato de o Melk ter ficado doente e estar fazendo tratamento no veterinário, também foram pelo ralo meus planos de cortar o cabelo no fim de semana, únicos dias em que é possível realizar esta tediosa mas altamente necessária tarefa. O que significa, exceto pelo azul, devo estar a cara do Rolo.

Parece brincadeira, mas ter cara de traficante boliviano em plena era de protestos anticopa e linchamentos "justiceiros" não é exatamente a ideia mais brilhante.



0 comentários:

Postar um comentário

Nada tão satisfatório quanto saber que seu comentário fex a diferença.