Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Cantada



Não é tão refresco assim, né?
Outro dia vi alguém usar um vídeo de uma moça que mudava de ideia sobre sair com um cara após ver sua Lamborghini como argumento para defender um suposto "direito" dos homens de passar cantada nas mulheres.

Primeiro vou dizer minhas impressões sobre o vídeo. Aliás, dica útil: quando vir alguma peça veiculada, seja na internet, teatro, cinema, televisão, etc, convém questionar suas motivações e ideologias, e tentar ler as entrelinhas. Quem já assistiu a esse tipo de pegadinha ou experimento social sabe que, usualmente, são mostradas as reações de várias pessoas. Neste vídeo, só tem uma. O que isso indica? Que provavelmente aquele loser ficou horas ali tentando com várias garotas. Uma delas caiu na arapuca, ele correu pro You Tube pra ganhar seus joinhas.

Sabe o que ele prova? Que alguns homens precisam ostentar o carro pra comer mulher. Só isso. Uma interesseira não condena um gênero inteiro, assim como um otário também não.

Dito isso: por que, caralhos, estamos discutindo esse assunto? A questão é muito simples: essa porcaria de comportamento incomoda. É invasivo, inapropriado e grosseiro. É coisa de macacos, ponto final. Pare. Se a situação do terceiro quadrinho fosse corriqueira, teríamos LEIS proibindo cantadas (e se o gay fosse de menor porte que a vítima da cantada, provavelmente apanharia). Estamos falando de abuso. Não tão grave quando estupro ou assédio sexual, mas ainda assim abuso. Só o fato de estarmos discutindo essa questão já denota nossa falta de respeito. Seria como se você pedisse pra parar de cutucar, e a pessoa continuasse. Com a diferença que o cutucão seria no seu toba.

É uma questão de bom senso. Sei que isso soa como se fosse fácil de resolver, mas é o contrário: é impossível. Se bom senso fosse uma característica difundida, não precisaríamos de um judiciário tão inflado. E, por favor, guarde seus argumentos sobre formação de casais, demonstração de interesse sexual e preservação da espécie na caverna de onde saiu. A percentagem de homens que conseguiu alguma coisa com mulheres desta maneira é menor do que a chance de você ser atingido por um raio. Você NUNCA comeu ninguém desse jeito, idem ninguém que você conhece. A única situação em que esta abordagem dá certo é em filme pornô, e assim mesmo só porque esta categoria de cinema não prima pela verossimilhança.

Quero acreditar que você é mais inteligente que isso: as mulheres não estão reclamando da corte, mas da imposição, da invasão, de situações onde não há como dizerem "não", cuja única opção é engolir a indignação e fingir que não ouviram. Porque até uma descompostura ou uma manifestação de repulsa apenas encorajam este comportamento simiesco.

Então faz assim: pare. Não vou nem usar o argumento ridículo de "imagine se fosse a sua mãe", porque já é pacífico que considerar suas familiares como seres assexuados é patético.

Em vez disso, raciocine, exercite seu charme. E assista ao vídeo do Louis CK. Não tem legenda, mas é legal e tem a ver com o assunto.



1 comentários:

  1. Gostei muito da sua postagem. Fico feliz em ver humor inteligente na internet.

    ResponderExcluir

Comente! Invente! Faça o Fex mais contente!