Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Quase morte


Pessoal que quase morre hoje deve ter experiências em HD.

Resolvi postar esta tirinha sobre homens das cavernas inspirado por um acontecimento na semana passada.



Uma colega da faculdade, a Livia, me viu desenhando e comentou que o namorado também fazia quadrinhos; não apenas isso, ele também participou do MSP mais 50, o segundo da série!

Curiosamente, não o conhecia, embora ele publicasse webcomics desde 2003. Não tão antigo quando o Rafael Dourado, mas mais que o Wes Samp. Resolvi comprar o MSP com a história dele: era uma historinha de quatro páginas do Piteco, muito bem estruturada e desenhada, muito legal mesmo! Pedi pra Livia levar pra ele autografar, e ela deu um jeito de ele passar na sala e assinar pessoalmente: Fábio Ciccone, autor do Magias e Barbaridades.

Mas não adianta muito linkar o site. Mesmo o material antigo está fora do ar, por conta de problemas no servidor. Além disso, ele teve seu HD roubado, não sei se com todo o material, mas com grande parte dele. Fiquei triste com essa história. Eu mesmo, quando penso na possibilidade de ser assaltado, temo mais pelo meus desenhos e ideias de tirinhas que por coisas supostamente caras que eu carrego.

Sexta agora a Livia me levou um manuscrito contendo cinco capítulos do Magias e Barbaridades. Bom, eu sou o público-alvo desse trabalho: RPGista e quadrinista (é, depois de um ano compromissado com isso, acho que dá pra dizer que sou quadrinista. Amador, mas quadrinista), a história - devidamente dividida em capítulos, como quests  nos RPGs - é sobre Remmil, um mago que, ao sair à procura de um tomo de grande poder, associa-se com Oc, um dos integrantes da legião bárbara que invadiu sua vila.

Se eu tinha ficado chateado antes com a história do HD, esse manuscrito só piorou o sentimento. Porque, cara: é bom pra caralho! Li inteiro ainda na sala de aula, rindo sozinho lá no fundo, enquanto a professora explicava a Teoria do Retículo Cristalino. É realmente uma pena que um quadrinista deste calibre tenha que deixar os desenhos de lado pra procurar uma carreira sólida que possa sustentar o que, de outra forma, seria não só um meio de fazer a vida, como de fazer um nome.

(Também acabei lembrando de uma referência aos personagens dele neste crossover, feito seilaeuquando)

Bom... Livia, valeu por me apresentar seu namorado. Fabio, valeu por ter autografado meu exemplar do MSP+50. Mais ainda, por ter confiado em mim e emprestado o manuscrito dos cinco primeiros capítulos da sua saga em tirinhas. Se de tudo serve de consolo, virei fã do seu trabalho, e espero sinceramente que você possa voltar um dia a produzi-lo e publicá-lo.




0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Invente! Faça o Fex mais contente!