Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A teoria do bode

A sabedoria popular está cheia de ensinamentos de muita valia para nossas vidas cotidianas, e mesmo para nossas vãs filosofias.

Umas das minhas favoritas é a teoria do bode.

Sua vida está ruim? Seu chefe é um mala? Não consegue fazer seu relacionamento engrenar? Sua namorada reclama quando você deixa a tampa da privada levantada? Está sozinho e quer um(a) namorado(a)? Tirou nota baixa naquela disciplina? Seu maior hobby é assolar fóruns de debate pra trollar as pessoas e iniciar discussões paralelas e infrutíferas, numa tentativa de esconder de si mesmo o vácuo de afeto que existe na sua vida?

Leve um bode pra casa!

terça-feira, 26 de junho de 2012

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Bicicleta

Boa parte de minha infância e puberdade passei em cima de uma bicicleta. E, sendo eu uma pessoa pacata desde muito cedo, a maior parte dos acidentes e ferimentos que tive durante este período vieram deste veículo não-motorizado.

A primeira bicicleta, na verdade, não foi minha, mas da minha irmã, de natureza muito mais ativa e aventureira que a minha. Ela devia ter uns quatro anos e eu, seis, quando meus pais a compraram: era uma Monark infantil, de quadro branco, aro de plástico rosa e pneus azul-celeste. Claro, dada a idade, e pequena magrela tinha rodinhas auxiliares atrás, ao menos no início.

sábado, 23 de junho de 2012

Chama o Elevador


Que isso, Mussa? A vingança nunca é plena, mata a alma... (por que será que o apelido dele era "Elevador"?)

Descaradamente inspirado nesta tira do Orlandeli. Clique na imagem para vê-la no tamanho original.

Projeto Quadrinhos: Desenhando Quadrinhos



O livro deste mês é o excelente Desenhando Quadrinhos.

"Oh, não! Scott McCloud de novo?!?"

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Motos

Não gosto de motos. Não digo para pilotar, mas de motos no trânsito, especificamente o paulistano. Não obstante seram veículos muito instáveis e perigosos para seus usuários, o que estou dizendo é elas tornam mais estressante um tráfego que já é de tirar o Dalai Lama do sério.

Elas surgem do nada, trançam entre as faixas, têm um dom especial de acharem o ponto cego do veículo à frente, ficam de cauda no seu carro, têm uma buzininha que veio direto do inferno e te xingam quando você faz manobras como passar o sinal verde ou sinalizar pra trocar de faixa. Não que a inexistência de motos fosse resolver alguma coisa no trânsito de São Paulo. O problema é bem mais enraizado do que isso, e os motoristas de carros, táxis, caminhões e ônibus são tão mal-educados quanto (minto: os motoristas de ônibus são piores). Neste caos que chamamos de malha viária, as motos são, digamos, a cereja do bolo. Ou, pra fazer uma alegoria mais apropriada, as moscas do estrume.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Sir Lógica contra o dragão.


- Não, querida, você fica linda em qualquer roupa!
- Quer dizer então que pelada eu fico horrível...

Não inventa. Vai logo buscar esse chocolate.

terça-feira, 19 de junho de 2012

O Itaú

Eu vim de uma cidade chamada Itaú.

Não nasci no banco. Piada super original, hein? Nunca tinha ouvido...

Talvez sua característica mais marcante - além do familiar nome - seja a sua população: Itaú tem quinze mil habitantes. Nada de anormal, não fosse pelo fato de que ela tem esta demografia desde sempre. De quando me entendo por gente, Itaú tem quinze mil habitantes. Tenho trinta e um anos, e a população não aumenta nem diminui desde que eu tinha seis. Acho que é lá que os professores de Física tomam como exemplo de ideal para um sistema aberto homeostático: a entrada é igual à saída. Mortalidade + emigração = natalidade + imigração. Fico imaginando como deve ter sido a fundação da cidade. Devia ser uma fazenda, não sei, uma terra com potencial de se tornar uma vila, perto de um riacho. Do nada, uma horda de quinze mil pessoas chega ao mesmo tempo, finca uma pedra fundamental, constrói uma igreja, uma venda e voilá! Tá montado o arraial de Pedra Dura, que mais tarde viria a se tornar a poderosa megalópole mineira.*

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Niemeyer

Algumas vezes já parei pra pensar na razão pela qual comecei este blog, naqueles intuitos de autoanálise que, desde Freud, só servem pra acabar com a vida da gente. E, pelo menos até agora, a coisa mais próxima de uma resposta que obtive de mim mesmo é que a vida é, de fato, muito mais curiosa que a ficção.

Não sei se já falei em algum post anterior, mas sou um grande fã da Oficina dos Menestréis e seus espetáculos. A Oficina é um curso de teatro musical livre, voltado justamente para não-artistas; pessoas comuns, que desejam fazer parte de uma atividade cênica. Alguns de seus musicais são bem conhecidos fora do circuito mambembe, como o Noturno e o Vale Encantado, ambos de Oswaldo Montenegro. Outros nem tanto, mas com igual excelência, como A Mansão de Miss Jane e Lendas e Tribos.

sábado, 16 de junho de 2012

Projeto: Quadrinhos - Douglas e Toda Mafalda

Bão!

É assim que cumprimentaria os leitores o nosso mais novo colaborador, o famigerado Mussarela. Isso mesmo, a partir de agora teremos um colaborador! Mais um e superaremos os leitores em número!

Meu amigo Douglas (o mesmo que aparece nas tirinhas) entusiasmou-se ao ler sobre o meu Projeto: Quadrinhos e quis participar. Fiquei contente pelo interesse dele, pois ele tem uma bagagem de leitura muito maior que a minha; nesta seara que estou começando, ele já está na lida há tempos. E, assim, o projeto dá um passo além: não mais apenas sobre minhas novas experiências comics, mas também impressões e opiniões gerais sobre obras em quadrinhos.

Não combinamos qualquer periodicidade ou obrigatoriedade, vardomiros que somos, então sempre que der na telha dele, teremos textos diferenciados aqui no blog. Bom, com vocês, (o praticamente) Dr. Douglas!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Furacão Melk

Desde bem antes de começarmos a namorar, a Patrícia tinha uma diarista que vinha uma vez por semana, a Ozélia. Ela era ótima, mas no final, a coisa começou a decair; acho que toda relação de longa duração acaba se desgastando, ainda que apenas uma vez por semana. Enfim, venceu a validade.

Eu já morava aqui quando aconteceu, e isso criou-nos um problema: conseguir uma nova diarista. Em São Paulo, este é um verdadeiro trabalho de Héracles. Aliás, achar qualquer profissional minimamente comprometido aqui na Terra da Garoa é.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Moço dos Anéis (tô muito novo pra Senhor)

Em princípios de 1998, fui convocado pela quarta chamada da FUVEST para fazer o curso de Biologia na UFSCar. Já estava, então, na terceira semana de cursinho, acostumado à ideia de que, faculdade, só ano que vem.

O resultado foi uma correria, pois avisaram na quinta pra fazer a matrícula na segunda. Ainda mais quando você é adolescente, três dias são muito pouco para acostumar-se à idéia de mudar de cidade e ir morar longe dos seus pais, amigos, namorada...

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Expressões

Minha família tem um grupo próprio no Facebook. Outro dia postaram uma foto do meu tio César, que tem fama de gostar de um Gatorade (piadinha interna. Meus tios costumavam esconder cachaça em garrafinha de Gatorade pra esconder das respectivas que estavam chapando o coco.), com duas garrafas de cerveja na mão, sorridente que só.

Nos comentários, várias alusões a quão feliz ele parecia, mas a melhor veio do meu primo Paulo Marcos:

"Mais feliz que genro levando a sogra pra rodoviária"

quarta-feira, 6 de junho de 2012

A liminar

RPG - sigla para roleplaying game, ou jogo de interpretação de papéis.

Nem todo mundo é familiar com a idéia, embora várias mídias atuais utilizem conceitos que tiveram sua vanguarda no RPG. A principal característica deste "jogo" é a interatividade. Jogar RPG é contar uma história cuja autoria é conjunta; enquanto o narrador prepara o arcabouço, os jogadores fornecem os protagonistas. Cada jogador interpreta uma personagem, que é traçada de forma genérica - mais uma orientação que uma descrição fechada - mas não tem falas decoradas ou roteiro pra seguir. Desta forma, à medida que a história é contada, suas ações vão influenciando seu decorrer, de modo que o resultado é sempre imprevisível, pois virá da sinergia entre os participantes.

terça-feira, 5 de junho de 2012

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Superpoderes

Eu sempre tive dificuldade de me expressar claramente, de explicar algo que esteja se passando em minha mente. Talvez até por isso eu seja tão prolixo, sempre procurando novas maneiras de repetir uma informação numa mesma explanação.

A razão para isto é que minha cabeça é uma verdadeira zona. Claro, não tenho como saber se as das outras pessoas são diferentes, mas a minha imaginação é estranha. Meu cérebro é um pilantrão, vive me metendo em frias, guardando informações inúteis por décadas, fazendo associações bizarras de ideias e me lembrando coisas nos momentos mais inusitados.

domingo, 3 de junho de 2012

Dia


Não acreditei quando vi isso. Aparentemente, é uma campanha publicitária do supermercado Dia, com aquela perua daquele programa tosco, Mulheres Ricas.

Acho que não tem uma maneira melhor de expressar meus sentimentos do que com a seguinte gíria internética: WTF?!? o.O

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Por opção?

Meu amigo Marc foi ao médico outro dia. Primeira consulta, a secretária pede algumas informações para o cadastro:
- Nome?

- Marc, M - A - R - C, Halsberghe, H - A - L - S - B - E - R - G - H - E.

- Nossa, que difícil! Data de nascimento?

- Dezesseis de junho de 80.

- Estado civil?