Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Plasmídeo

"Como esta pessoa conseguiu chegar até aqui?"

São incontáveis as vezes que já fiz-me esta pergunta. Como fulano conseguiu sair de casa, amarrar os sapatos, vestir a roupa, pegar algum transporte e chegar aqui, tudo isso sem morrer no processo?

Andei estudando pra concursos, e acabei lembrando desta pérola. Vai ficar mais inteligível pra quem é da área, mas tentarei manter os pés no chão enquanto narro.

Aula de Genética Bacteriana. Era o último tópico de um longo semestre de Microbiologia. A professora, Mirna, irritava tamanha a didática dela. Isso mesmo! Era tudo tão explicadinho, tão detalhadinho, que parecia que ela estava se dirigindo a uma turma do Mobral (ia falar APAE, mas daí corre o risco de tirarem o blog do ar). Mas, de qualquer modo, antes isso que um professor relapso. E devo reconhecer: funciona. Você não aprende em profundidade, mas o que se aprende, fica.

Para os leigos no assunto, uma breve explicação: as bactérias possuem um DNA acessório chamado plasmídeo. Esta estrutura, embora não seja obrigatória, tem uma grande importância na biologia dos procariotos, de maneira que durante o curso fala-se inúmeras vezes sobre plasmídeos, em vários tópicos: estrutura da célula, reprodução, transformação bacteriana, etc. Muito. Vocês não tem noção do quanto se fala de plasmídeo quando o assunto é bactéria.

Pois bem. Voltemos à genética bacteriana. Estava lá a professora explicando a existência de genes de resistência a antibióticos presentes em algumas famílias de plasmídeos, quando Davi, um cara que estava cursando a disciplina lá pela terceira ou quarta vez, soando mais ou menos como Pedro Bó, levanta a mão. A professora pergunta qual a dúvida, ele dá um dos mais lindos coup de grace verbais que eu já presenciei:

- Professora: o que é plasmídeo?

É mais ou menos como perguntar, ao final de um curso de Direito: "Professor: o que é lei?"

Sério, embora eu não simpatizasse muito com o método da professora, neste dia fiquei com pena. A expressão dela era a mais pura decepção. Ela transmitiu naquele olhar e naquele discreto suspiro toda a desilusão de que sua dedicação ao ensino fazia alguma diferença na vida dos alunos. Tenho a impressão de que ela questionou, ali, naqueles fugazes segundos, todas as grandes decisões da vida dela que a levaram àquele momento.

E o salário, ó...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Invente! Faça o Fex mais contente!