Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Funcionalismo Público

Quando eu visito o blog Homem é Tudo Palhaço, lendo sobre as situações, eu fico num dilema: embora eu mesmo não faça aquelas coisas (embora faça das minhas próprias palhaçadas) clássicas, como criticar escrachadamente a namorada/esposa, combinar de aparecer e sumir sem aviso, ou ficar sabotando namoro ao invés de terminar, sou obrigado a reconhecer que acontece com tal frequência que não dá pra defender a classe.

Faço parte de uma outra classe que não dá pra defender: a dos funcionários públicos.

Meu amigo Douglas tinha terminado o mestrado em uma universidade em Franca, mas o diploma demora alguns meses pra sair após a conclusão. Assim, ele precisava de um certificado de conclusão do curso, pois tinha conseguido uma vaga de professor numa faculdade e teria de comprovar o currículo.

O protocolo da universidade pedia uma semana de prazo para requerimento de documentos. Na época, ele já morava em outra cidade, no sul de Minas, pois, com o fim da bolsa de estudos, não podia se manter sozinho e sem remuneração. Assim, organizado como só ele, Douglas planejou tudo, e pediu o documento numa sexta-feira, para que pudesse retirar na sexta-feira seguinte, logo antes de viajar para o centro-norte de Minas para assumir o posto que havia conquistado.

Ou seja: ele sairia do sul de Minas, iria até Franca, para depois seguir de volta pra Minas, desta vez para uma cidade 200 Km depois de Belo Horizonte. A ida a Franca acrescentou assim, uns 300 Km a uma viagem que já não era curta, mas fazer o quê? Ele precisava do certificado.

Pois bem. Ele pediu o documento na sexta e foi buscar na sexta seguinte. Chegando lá, ele abordou o funcionário, que atendeu com aquela cara de "que-saco-esse-otário-fdp-que-me-tira-de-meu-sossego":

- Pois não.
- Vim retirar um documento. Semana passada eu pedi um Certificado de Conclusão de Curso, tá aqui o protocolo.

O sujeito olha com certo desdém pro pedaço de papel.

- É... é hoje mesmo o prazo.

Ato contínuo, ele vai para seu terminal, digita o Certificado, imprime, carimba, assina e o entrega para um estupefato Douglas. NA MESMA HORA.

¬¬

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Invente! Faça o Fex mais contente!